terça-feira, 26 de abril de 2016

Diário Fotográfico - Um Dia Em Versalhes

Bonjour, bonjour! :)
Hoje é dia de visita guiada através do maravilhoso Palais de Versailles!
Bora lá?

Jardim do Laranjal


Ainda no clima da série que vos apresentei na semana passada, lembrei-me de partilhar um throwback de quando fui visitar o Palácio de Versalhes, no verão de 2011.
As fotos desse dia são imensas e mesmo assim não fotografei tudo, tenho certeza, no entanto reuni algumas que penso serem suficientes para sumarizar a visita e que vos podem dar um gostinho daquele lugar.


Entrada de Versailles


Algumas partes do palácio estavam a ser restauradas, por isso o painel da direita.

Interior do Palácio

Evolução do alargamento do palácio (decretado por Louis XIV)

Louis XIV

Marie Antoinette - esposa de Louis XVI


Abóbada da Gallerie des Glaces (Galeria dos Espelhos)

L'inconnue xD (A desconhecida)

Quarto da Rainha


Quarto do Rei









Jardins






Sai muita palhaçada nas fotos quando se está feliz demais xD

Parterre de Água

Fonte Latona

Fonte de Apolo

Grand Canal

A caminho do Grand Trianon


Grand Trianon


Grand Trianon (onde o Rei Louis XIV costumava passar algum tempo longe da corte com a sua amante)

Petit Trianon e o Estado de Marie Antoinette

Petit Trianon
 
Pavilhão do jardim francês


Estado de Marie Antoinette (construído como refúgio da rainha, era habitado por pessoas que levavam uma vida simples)

Uma das casas da aldeia com moinho de água









A aldeia funcionava tal qual as restantes aldeias de França fora de Versailles



Isto deu-me imensas saudades rever estas e outras as fotografias. :3 Quero mesmo muito voltar lá, visitar mais partes deste lindíssimo lugar e voltar a registar tudo em fotos e vídeos.
Espero que tenham gostado deste diário fotográfico. Penso ter conseguido fazer um resumo beeeem resumido do que há para ver em Versailles.

Ficaram com vontade de lá ir ou de lá voltar? Qual a vossa parte favorita?


Obrigada por lerem! :)

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Opinião | O Principezinho



  • Título Original: Le Petit Prince
  • Título Traduzido: O Principezinho
  • Autoria: Antoine de Saint-Exupéry
  • Edição: Relógio D'Água Editores, 1995
  • Páginas: 95
  • Tipo: Literatura infantil

Sinopse:
"O Principezinho" é a história de um rapaz que vivia só num planeta pouco maior do que ele. Um dia partiu em viagem pelo Universo, conhecendo o estranho mundo dos adultos, numa série de encontros extraordinários, que nos falam da avidez, da ambição ou do ridículo, mas também da amizade, do amor e da separação.

Opinião:
Saint-Exupéry escreveu este livro como uma história de crianças mas, de facto, este livro é bem adulto. Atrevo-me até a dizer que este livro foi escrito para adultos, para que eles se revejam na história e que encontrem de novo a criança que um dia foram. O texto está carregado de significado, mensagens importantes e valores, facilmente detetáveis e compreendidos. O discurso é tão simples que parece feito por uma criança. Não tem nada de infantil, apenas é simples, é direto, é claro e é óbvio, como o discurso das crianças. De facto, é um livro que toda a gente deve ler e reler ao longo da vida, pois acredito que trará algo novo em cada fase diferente em que nos encontremos, já que tem tantas mensagens sobre tantos aspetos da vida e do ser humano.  A edição é antiga e o livro pertenceu a alguém que desconheço. No interior existem ilustrações e a capa é uma delas, com o protagonista em destaque. A fonte é bastante boa e a forma como o texto foi arranjado facilita imenso a leitura.

 
A sua leitura foi rápida e fácil mas não fiquei tão maravilhada como muita gente diz ficar. Entendi o que me foi transmitido, reconheci a sua importância, e a sua carência de exercício no mundo atual, mas não foi tão arrebatador quanto imaginei que seria. Talvez precise de tempo para que isso aconteça ou, simplesmente, estou mais alerta para o que se passa à minha volta do que outras pessoas e por isso não "acordei" com esta leitura. Ou então preciso ainda de amadurecer mais e numa releitura futura irei encará-lo com outros olhos. Ou então não sei. Gostei mas não amei, porém convido a que façam esta leitura.

Este livro foi recentemente adaptado para filme. Ainda não vi então não sei se ficou bom ou não, o que sei é que mistura dois tipos de filmagem, se é que se pode dizer assim, e que é o aviador a contar a história do Principezinho a uma menina que acabou de se mudar para a casa ao lado da sua.

Trailer do filme (2015)




Obrigada por lerem! :)

sábado, 23 de abril de 2016

10 Coisas Felizes Esta Semana

Bom dia! Tenho a dizer que esta semana foi muito parada e quase não me lembro de nada do que aconteceu. :/ Memofante. Mesmo assim, deixo-vos uma listinha bem aleatória de algumas coisas de que me lembro e que, de alguma forma, foram coisas felizes.


1. Vendi um livro que já não queria no olx! \o/

2. Comprei livros em segunda mão que queria! Uns com entrega em mão e outros estão para chegar via ctt (espero).

3. Nada como enviar uma carta com pequenos mimos sem a pessoa contar, né? :3 E que bom que a pessoa gostou! ♥

4. A minha mãe apareceu no meu quarto um dia deste e começou a "fazer flexões". Ela não sabe fazer flexões. Foi a risota total. Depois disso, tentou abdominais. Vá, melhorou um pouco. Resultado: anda tudo doido cá em casa. xD

5. O sol (semi) voltou! Ele deu as suas caras esta semana, mesmo que por breves momentos apenas. Mas a sério, sol, és bem-vindo, só não aqueças demasiado, ok? :p

6. Esta semana foi semana de enviar e-mails para editoras a pedir que editem determinados livros. No post de ontem consta um dos livros pedidos nesses e-mails.

7. Voltei a ver OUAT e quero um episódio todos os dias, pleeeeease!

8. Domingo passado foi dia de tarte de limão. A receita está aqui no blog. Vão dar uma olhada se ainda não o fizeram. :)

9. Participei em alguns passatempos livrólicos, uns através do facebook, outros em blogs e outros no instagram. Desejem-me sorte!

10. O meu pai ajudou-me a engendrar uma marosca para conseguir manter os meus livros em pé na prateleira. Eles não têm onde se segurar, por isso uma ripa fina entre uma prateleira e a outra está muito bem a fazer de segura-livros. xD


Foi isto que me lembrei de partilhar. Deixem nos comentários quais foram as vossas coisas felizes desta semana.


Obrigada por lerem! :)

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Queremos O Styxx Em Português [Apelo]

Créditos na imagem
 
Boa noite.

Trago-vos um assunto importante, principalmente para fãs de Sherrilyn Kenyon.
Em conversa com a duas amigas, foi falado comunicar à Casa Das Letras, que pertence ao Grupo Editorial Leya, para que publiquem o livro Styxx.
Assim sendo, venho pedir a vossa ajuda nesse sentido. A ideia é que cada fã envie um e-mail para a editora e peça/ pergunte quando sairá o volume Styxx.
Para essa causa podem enumerar alguns dados que considero relevantes:
  • Acheron foi editado pela Casa das Letras e ficou muito bem, na minha opinião;
  • uma vez que Styxx tem um outro ponto de vista da primeira metade do livro de Acheron, penso que deveriam ser os mesmos tradutores e revisores a trabalhar nele;
  • o livro de Styxx não iria trazer spoilers para a restante saga, portanto não seria necessário esperar que a Saída de Emergência publicasse os volumes que saíram na versão original antes de Styxx.

Pensem com carinho nesta sugestão e caso queiram ajudar as fãs a receberem Styxx em português o mais rápido possível, enviem os vossos e-mails para: servicocliente@leya.pt

Partilhem a informação com outras pessoas que conhecem que sejam fãs da saga, através de mensagem, posts aqui no face, Twitter, blogs, instagram, etc., por favor.

Contamos com a vossa ajuda! 😉 Obrigada! ❤

quarta-feira, 20 de abril de 2016

As Minhas Séries Favoritas - Versailles


Oh, séries! Eu adoro séries! E para quem também adora, vim partilhar uma que não tenho certeza se a vi, pela primeira vez, este ano ou no final do ano passado mas o certo é que já a vi e já a revi. xD


Versailles é uma série que, como o nome denuncia, se passa em Versalhes, França, e que apresenta a vida na corte do rei Louis XIV no século XVII. Esta série franco-canadiana foi emitida pela primeira vez em novembro de 2015 pelo Canal+ na França e, posteriormente, pelo Super Channel no Canadá. Conta com uma temporada de 10 episódios, sendo que cada episódio tem uma duração média de 55 minutos.

A trama segue o alargamento do Palais de Versailles e toda a controvérsia da corte francesa que nele habita. Enquanto o rei tenta mostrar ao mundo que França é poderosa e o centro do mundo, as suas exorbitantes exigências levam o país a um estado de quase individamento, o qual é mantido em segredo pelos seus conselheiros e família próxima. Ao mesmo tempo, um sigiloso movimento contra a igreja católica e contra o rei começa a emergir do anonimato, criando suspeitas entre os membros da corte e levando o rei a fazer ainda mais exigências quanto à descendência de cada pessoa sobre o seu teto. De forma a que os seus segredos continuem encobertos, os culpados usam de todas as suas táticas para salvaguardarem as suas vidas e assim continuarem com a conspiração.
Nesta corrida de gato e rato, podemos ainda assistir a peças da vida quotidiana dos residentes do palácio, dos seus amores, traições, intrigas e assassinatos.
A banda sonora é espetacular, na minha opinião, assim como o vestuário e a escolha de atores. A série foi gravada parcialmente no Palácio e jardins de Versalhes, enriquecendo assim ainda mais as cenas exibidas. São evidenciados factos históricos verídicos mas também foram acrescentados personagens fantasiados de modo a tornar a história mais empolgante e envolvente.

Super aconselho esta série a quem gosta de séries históricas com mistério, intrigas e sensualidade. É tão boa que só faz querer mais! ;)

Trailer da primeira temporada



Obrigada por lerem! :)

terça-feira, 19 de abril de 2016

Colher-De-Pau - Tarte De Limão Merengada

"Foi no domingo passado que passei..." pela cozinha porque "quando a vida te dá limões..." podes fazer uma tarte, tipo esta, receita de família (da tia, mais exatamente). xD

 
Aqui está a lista de ingredientes:

Massa areada (também pode ser quebrada)

Recheio:
  • 150 gr. de açúcar
  • 2 ovos inteiros
  • 3 gemas
  • 20 cl. de natas
  • sumo e raspa de 2 limões médios

Cobertura:
  • 3 claras
  • 1 pitada de sal
  • 50 gr. de açúcar

Preparação:
Comece por colocar a massa na tarteira, pique com um garfo e leve ao forno pré-aquecido a 180º C durante cerca de 5 minutos.


Numa taça grande, bata os ovos inteiros e as gemas com o açúcar, adicione depois a raspa e o sumo dos limões e, por fim, as natas.





Junte o preparado à massa pré-cozida e volte a levar ao forno a 180º C durante 35 minutos.



Bata as claras com uma pitada de sal e adicione o açúcar, envolvendo tudo e criando o merengue. Espalhe as claras merengadas por cima da tarte cozida e leve novamente ao forno a 180º C até o merengue ganhar um pouco de cor.



Deixe arrefecer um pouco e depois coloque no frigorífico. Sirva frio.

Pronto, é fácil e bem boa. Eu fiquei na dúvida se partilharia com vocês esta receita ou não, isto apenas porque a tarte ficou um pouco queimada nas bordas e fica feio, né? :/ Não sei se foi descuido da minha parte (o que pode muito bem ser o mais provável) ou se foi culpa do meu forno, que já viu melhores dias, mas ela é mesmo tão boa que, olhem, paciência! xD Apesar do aspeto, posso dizer que foi toda no espaço de um dia. :p 

Obrigada por lerem. :)

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Opinião | Orgulho e Preconceito


  • Título Original: Pride and Prejudice
  • Título Traduzido: Orgulho e Preconceito
  • Autoria: Jane Austen
  • Edição: 2008 (sic) idea y creación editorial, s.l.
  • Páginas: 238
  • Tipo: Literatura clássica romântica

Sinopse:
Elizabeth Bennet, uma das cinco filhas de uma família da classe média rural, conhece Fitzwilliam Darcy, membro da alta sociedade mas de um orgulho desmesurado. As tensões aparecem rapidamente, alterando sensivelmente o idílico e pacífico mundo rural inglês, que se revela como uma sociedade rígida, em que abundam os preconceitos e na qual nem tudo é aquilo que parece. Neste romance de formação, os protagonistas devem madurar e aprender dos seus erros para poderem encarar o futuro, superando o orgulho de classe de Darcy e os preconceitos de Elizabeth.


Opinião:
Nesta história de Jane Austen, encontramos uma crítica social acompanhada de romance, onde cada personagem caracteriza um aspeto específico da sociedade inglesa do século XIX. A crítica social resolve à volta de todas as personagens, podendo enfatizar a família Bennet (exetuando um ou outro membro) como modelo de família rural com aspirações bem além da sua esfera, a insensatez, o exagero, e os elementos das famílias Bingley e De Bourgh, onde o orgulho, a arrogância e a prepotência, além da dissimulação, são fortemente vincadas (igualmente excetuando um ou outro membro). Quanto aos protagonistas, Lizzie e Darcy, podemos ver a sua evolução enquanto pessoas, enquanto conhecidos e até ao momento em que os seus sentimentos não podem mais ser ignorados. Eles começam por se julgarem sem darem lugar à possibilidade de que exista algo para além das aparências, o que dificulta o cultivo de afeto numa fase inicial. Com o desenrolar da ação e devido aos acontecimentos entre terceiros que os obrigam a ter uma maior convivência, as suas perspetivas começam a mudar, principalmente por parte de Darcy, e mais tarde de Lizzie. A narrativa está muito bem construída e todos os assuntos muito bem explorados, como seria de esperar de uma autora como Austen, porém o discurso é um pouco "cansativo" pois mostra o tipo de escrita formal do século em que foi criado. O tempo da ação decorre fluentemente e nada é deixado ao acaso nem com "pontas soltas". Como dizia Austen, cada personagem sua acaba por receber aquilo que merece no final. A edição que li é uma espécie de livro de bolso, com a fonte demasiado pequena e o espaçamento inexistente, o que me dificultou mais ainda a leitura mas a história compensou todas as questões menos boas. A capa tem a imagem da atriz que interpreta Elizabeth Bennet no filme.

Confesso que me custou a ler este livro mas não foi sempre assim. Devido à escrita (a qual não estou habituada) demorei mais tempo em algumas partes do livro e fiquei mais "cansada" com as longas narrativas de poderiam ter sido abreviadas para uma só frase. No entanto, suponho que isso seja caraterístico da escrita da época e, principalmente, da autora, que deve ter refletido na sua escrita a forma como era comum expressar-se naquele tempo. 

Este livro, assim como todas as obras da autora, teve direito a uma adaptação em filme e também em mini-série. Ambas as adaptações estão muito boas, sendo que o filme está um pouco mais "atual" sem, no entanto, perder as caraterísticas vitorianas. A mini-série está muito boa. Já revi imensas vezes e recomendo ambos.


Episódio 1/6 da mini-série da BBC (1995)




Trailer do filme (2005)




Obrigada por lerem! :)

domingo, 17 de abril de 2016

Desafio - Abril, Livros Mil! [Compilação]

Adaptado de Tumblr

Como o prometido é devido, abaixo encontra-se a compilação dos links com todo o conteúdo partilhado durante a semana que passou. Agradeço, mais uma vez, a todas as pessoas envolvidas neste primeiro desafio do blog e espero que tenham gostado da experiência.


No 1º desafio "Abril, Livros Mil!" deste blog, participaram:




Dia 1  |  Dia 2  |  Dia 3  |  Dia 4  |  Dia 5 


● • ۰ • ♦ • ۰ • ●




Dia 1  |  Dia 2  |  Dia 3  |  Dia 4  |  Dia 5


● • ۰ • ♦ • ۰ • ●





Dia 1  |  Dia 2  |  Dia 3  |  Dia 4  |  Dia 5


● • ۰ • ♦ • ۰ • ●




Dia 1  |  Dia 2  |  Dia 3  |  Dia 4  |  Dia 5


● • ۰ • ♦ • ۰ • ●



Obrigada por lerem! :)

Disclaimer

Nenhuma das publicações deste blog onde são referidas marcas, aplicações, locais, entre outros, são pagas ou patrocinadas, salvo quando indicado o contrário na publicação.