quinta-feira, 12 de maio de 2016

Faculdade - A Minha Experiência

Com a altura das festividades académicas aí, não há como não recordar os anos que passei na faculdade. Vou tentar não me alargar muito senão passaria horas a contar pormenores de mais de 5 anos de "estudo". xD

Fonte aqui

Posso dividir a minha experiência académica em três partes:
  • quando fui pela primeira vez para o ensino superior, para a Universidade de Aveiro;
  • quando fui para a licenciatura da ESE
  • e quando fui para o mestrado.

Primeira parte:
Começando pelo começo, Aveiro não foi a minha primeira escolha mas fui lá parar depois de escolher, meio que aleatoriamente, os cursos para os quais tinha média e que pareciam minimamente interessantes (e com alguma saída profissional).
Estive dois anos lá, num curso afluente de direito. Ia e vinha de comboio, preferia a viagem a ter que gastar dinheiro em estadia. Fui para a praxe mas não achei piada nenhuma, principalmente porque havia bastante discriminação na minha turma, sendo que os estudantes que lá viviam eram muito mais próximos uns dos outros e saíam várias noites por semana para não fazerem mais nada a não ser "apanhar a piela". Depois do Aluvião, deixei de ir à praxe e lá continuei na minha vidinha pacata de estudante universitária.

 
Mas, apesar de gostar da Universidade, da cidade e da maior parte das cadeiras (disciplinas), a meio do segundo ano vi que aquilo não era para mim. Assim, no final desse ano, não renovei a matrícula para o terceiro e último ano do curso. Em vez disso, fui fazer novas provas de ingresso como aluna externa e concorri para um curso de línguas no Porto. E isso leva-nos à segunda parte.


Segunda parte:
Entrei na segunda fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, no único curso ao qual me candidatei. Foi mesmo "ou é, ou não é!". Não fui para a praxe quando entrei na ESE. Comparando o modus operandi entre ESE e UA, mais valia ter feito a praxe em Aveiro. De qualquer forma, foi talvez a decisão de não ir à praxe que me levou a aproximar-me de pessoas fantásticas, com quem partilhei muitos bons momentos durante esses três anos. As minhas parigas. <3 O curso foi relativamente ligeiro, até certo ponto, depois começou a complicar, mas nada que um pouco de esforço não resolvesse. Em três anos tinha a licenciatura feita e melhor do que isso, amizades que perduram até hoje. ♥ Cartolámos e fomos para o cortejo e para a Queima das Fitas, com as nossas cartolas e bengalas azul bebé e cor-de-rosa bebé.



Terceira parte:
Terminada a licenciatura, o que fazer? Procurar emprego era a opção lógica mas preferi experimentar o mestrado em ensino de línguas. Digamos que foi uma experiência da qual devo retirar muitas lições (o jogo de palavras não estava programado xD). Algumas das cadeiras eram a pura seca: nunca me esquecerei do professor de Teoria da Educação, um tipo super porreiro mas que dava matéria super chata. Não me lembro de uma vírgula das aulas dele, mas lembro-me bem de ficar a espreitar os alunos de artes sentados à minha frente a adiantar os seus trabalhos artísticos nos notebooks enquanto fingiam ouvir o professor. E depois as noitadas de sexta-feira no bar perto da faculdade, onde as meninas pediam vodka preta mas quem acabava por beber tudo era eu. xD No entanto, esses colegas não se tornaram amigos. Nem sempre acontece, não é?
Enfim, o primeiro ano foi bom no geral. Fiz estágio num colégio religioso, juntamente com uma colega de turma e com um dos meus melhores amigos para a vida, o meu Peter Pan ♥ , e os pequenitos com quem trabalhamos deixaram saudades até hoje.

 
O segundo ano foi um desastre, com direito ao meu primeiro ataque de ansiedade e consequente desistência do curso. Não foi só por causa disso, aliás, penso que isso foi resultado de todo um conjunto de situações que os adultos costumam lidar mas que não deveriam sequer existir. Não tenho estômago para certas coisas e engolir sapos não é, definitivamente, uma delas, assim como não é deixar que me atirem areia para os olhos e não fazer nada. Nisso, a ESE tem bastante culpa. Digo abertamente que aquela escola não tem consideração pelos anos. Quanto ao estágio que estava a fazer na altura, fiquei com pena de não o continuar e de deixar as minhas duas turmas de 8º ano. Eram uns queridos, cada rufia à sua maneira. :) Tenho saudades deles também.


Resumidamente, esta é a minha experiência no ensino superior. Escusado será dizer que o ponto forte foram as amizades criadas durante esses anos "loucos".

Vocês estão a frequentar ou frequentaram algum curso superior? Como resumem a vossa experiência?

Obrigada por lerem! :)

segunda-feira, 9 de maio de 2016

In LOV Maio ♡



O LOV ♡ está aí e para o mês de maio recomendo:


L(er) - A Filha dos Mundos, de Inês Botelho

"A Filha dos Mundos" é um livro juvenil que nos conta a história de Ailura, uma jovem que é transportada para um reino mágico onde se vê confrontada com a necessidade de ajudar o povo que lá habita a combater um feiticeiro do mal. Durante a sua aventura, irá descobrir todo um mundo que só imaginava possível nas histórias infantis e também a verdade sobre si e a sua família.


O(uvir) - The Paper Kites


Tropecei nesta banda australiana há pouco tempo e estou apaixonada pela música deles. O seu estilo é indie rock, logo as suas músicas são super cute e com "cheiro" de primavera. Uma das que mais tenho ouvido é "Woodland".



Baseado no livro de Ane Rice com o mesmo nome, "Entrevista com o Vampiro" é o testemunho de Louis, um vampiro com 200 anos, a um repórter de rádio. Nas poucas horas em que passaram juntos num quarto de hotel em São Francisco do século XX, a história de Louis é relatada desde o momento em que "nasceu para a escuridão", como se refere à sua transformação para vampiro, até àquele momento.
Esta adaptação de 1994 conta com os desempenhos notáveis de Tom Cruise, Brad Pitt, Antonio Banderas e Kristen Dunst.


Obrigada por lerem! :)

Disclaimer

Nenhuma das publicações deste blog onde são referidas marcas, aplicações, locais, entre outros, são pagas ou patrocinadas, salvo quando indicado o contrário na publicação.